Slow J e Stereossauro feat. Papillon & Plutonio – Nunca Pares (Letra)


«Slow J e Stereossauro feat. Papillon & Plutonio – Nunca Pares (Letra)»

[Verso 1: Slow]
2004 não foi normal, 4 mais doze deu Carnaval
Éder agarra na bola e acaba com a história do «quase já cheira mal»
Daqui p’rá frente sou animal
São Tomé, Moçambique, Brasil, Angola e Guiné Bissau

Diretamente de Portugal, filho de todos a quem fiz mal
Sou escravo, sou dono só cravo o meu sonho no muro do teu quintal

(?) são panteras bravas e o bater das asas é colossal
Tudo o que eu quero é voltar a casa ver que ela nunca mais vai ser igual
Mundo todo vira um vendaval, nossa fome é tão universal
Falhamos, Lutamos, Sangramos e nunca paramos sem alcança-lo

[Refrão: Papillon e Slow]
Nunca Pares, Nunca Pares, Nunca Pares
Vitória, Vitória, Vitória
Vitória, Vitória, Vitória
Nunca Pares, Nunca Pares, Nunca Pares
Vitória, Vitória, Vitória

[Pós-Refrão: Plutónio]
Só vou parar quando eu morrer
Não vou viver em vão
Só vou parar quando eu morrer
Não tenho outra opção
Só vou parar quando eu morrer

[Verso 2: Papillon]
Vitória, Vitória, Vitória
Vontade de vencer é notória
Força nas canetas para escrever com letras
Enormes, o nome na história

Vitória, Vitória eu repito
É uma (?) sussurro ou grito
Acredito que mesmo escutado
Foi (?) do ex-infinito

E sangue corre, o suor escorre
Somos um só e isso não morre
Os netos dos netos dos egrégios avós
Já ‘tão cansados de comer pó

Hora de rapar o prato
Alargar o legado
Vim dar um recado
Que o mundo é pequeno
Pesdes esta vontade
Aora dá tudo até nada teres p’ra dar, vai!

[Refrão: Papillon e Slow]
Nunca Pares, Nunca Pares, Nunca Pares
Vitória, Vitória, Vitória
Vitória, Vitória, Vitória
Nunca Pares, Nunca Pares, Nunca Pares
Vitória, Vitória, Vitória

[Pós-Refrão: Plutónio]
Só vou parar quando eu morrer
Não vou viver em vão
Só vou parar quando eu morrer
Não tenho outra opção

Nasci p’ra ser e ver nascer
À luz na escuridão
Não paro enquanto eu não vencer
Não tenho outra opção

Sei que os loucos vão perceber
Enquanto outros não
Existe o sonho de viver
Não vou viver em vão
Só vou parar quando eu morrer

[Ponte: Plutónio, Papillon]
Não vou viver em vão
Vitória, Vitória, Vitória
Só vou parar quando eu morrer
Não tenho outra opção
Vitória, Vitória, Vitória
Só vou parar quando eu morrer

[Outro: Slow]
Nunca Pares, Nunca Pares, Nunca Pares, Nunca Pares
E quando te doer as pernas
Duvidares da meta
Brotha nunca pares

E quando te atirarem pedras
É p’ra ver se quebras
Brotha nunca pares
Nunca Pares, Nunca Pares, Nunca Pares, Nunca Pares

Leave a Reply

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *